A crise internacional mexe no crédito nos empréstimos oferecidos aos Brasileiros e Portugueses. Hoje em dia o juro cobrado num empréstimo pessoal já é o maior dos últimos cinco anos e a taxa varia de banco para banco.

Emprestimo PessoalPor isso é bom fazer bem as contas antes de tomar um empréstimo pessoal, crédito pessoal ou entrar num cheque especial. Em alguns casos quem faz um financiamento acaba por pagar até 2 e meia vezes o valor que pegou emprestado.

Se você precisar de um empréstimo pessoal agora, é a altura em que vai pagar mais. A taxa de juro para um empréstimo pessoal está em cerca de 6% ao mês! Isso é uma taxa de juro muito alta por isso veja se o empréstimo é mesmo necessário.

Alguns bancos captam recursos no exterior e o dinheiro escasso por lá acabar por chegar mais caro ao Brazil. Mas além disso existem outros factores menos racionais para estas taxas de juro tão altas.

Por não estar vinculado a nenhuma garantia o crédito pessoal e outros créditos diretos ao consumidor são supostamente mais sensíveis à chamada crise de confiança que afecta o mundo. Os bancos dão a desculpa que se estão prevenindo para alguma coisa desconhecida que ainda está para vir.

Uma razão inicial por os juros dos empréstimos pessoais estarem tão altos é por um efeito psicológico, de um temor aumentem os problemas econômicos e a adimplência aqui no Brasil.

Esse aumento de adimplência pode ocorrer de uma possível recessão, ou diminuição da atividade econômica nos próximos meses no Brasil ou em Portugal. Isto pode ser provocado pela crise internacional.

O consumidor precisa de estar atento porque as taxas de juro de um empréstimo pessoal variam de um banco para o outro, assim como as exigências para conceder um empréstimo.

Vamos ver um exemplo para um empréstimo pessoal de R$ 1.500,00 em um ano. Vamos ver as diferentes taxas de juros que acaba por pagar em cada banco no Brasil:

ABN AMRO Real 7,95% = R$ 2.382,33

O banco ABN AMRO Real é o que tem a taxa de juro mais elevada! 7,95% ao mês! Num empréstimo pessoal de R$ 1.500,00 em 12 meses, o consumidor vai pagar mais de R$ 2.382,00 só de juros!

Caixa Federal 4,49% = R$ 1.972,86

O banco mais econômico para fazer um empréstimo pessoal é o da Caixa Federal. Com uma taxa de juro de 4,49% ao mês o consumidor acaba por pagar R$ 1.972,86 em juros em um ano. Mesmo sendo este o “melhor” empréstimo pessoal ainda é um roubo para o consumidor! Aqui o consumidor pagaria menos R$ 400 de juros, mas mesmo assim é um negócio muito mau!

Nos juros do cheque especial que cobra mais é o banco Safra com 11,79% de juros ao mês! No Itaú, Bradesco e Banco do Brasil os juros não chegam a 9% por mês! O banco com os juros mais baixos para o cheque especial é a Caixa Federal com 7,98% de juros.

  • SAFRA 11,79%
  • ITAÚ 8,75%
  • Bradesco 8,05%
  • Banco do Brasil 8,62%
  • Caixa Econômica Federal 7,98%

O recomendado é o consumidor agir com prudencia! Pense bem se vai tomar esse empréstimo, pense nas condições desse empréstimo. Hoje com uma taxa de juro maior, naturalmente vai pagar uma prestação mais elevada.

Escolher um Empréstimo Pessoal

O problema de crédito pessoal, cheque especial e empréstimo pessoal é complicado porque quem precisa daquele dinheiro ou do produto a ser comprado a prazo, prefere ignorar a questão do que vai pagar em juros porque quer resolver o seu problema na hora. Será que com o agravamento dos juros as pessoas vão mudar esse comportamento?

Na minha opinião as pessoas vão ser obrigadas a melhorar os seus comportamentos porque o crédito pessoal de agora para a frente (ou por bastante tempo) não vai ter prestações como antigamente. As prestações não serão tão baixas e interessantes como talvez fossem antigamente.

Apesar disso não há uma diferença tão grande nas taxas de juros de um empréstimo pessoal entre o antes e o depois da crise. Um empréstimo pessoal sempre foi um dos piores empréstimos que uma pessoa pode fazer… nunca foi e nunca será um bom negócio.

Está provado que as taxas de juro destes empréstimos subiram nos últimos 5 anos, mas sempre estiveram altíssimas. Estas taxas ainda tem a possibilidade de subir ainda mais para o consumidor. Outro problema que surge é o da diminuição do prazo de pagamento, ou seja a diminuição do número de prestações, a exigência de entradas maiores e as exigências de garantias melhores.

Uma pessoa vai ter que provar mais que tem uma determinada renda, que tem um emprego à mais tempo. Isto porque todos os bancos vão ficar ressabiados e vão querer ser mais cuidadosos na hora de fazer um empréstimo pessoal.

Para comparar os diferentes empréstimos pessoais pode ler o artigo sobre o simulador de empréstimo pessoal.

Isto deve também servir de alerta para quem está tomando este tipo de empréstimo pessoal. Os consumidores tem de ser mais cuidadosos porque, inclusive, não sabemos como vai ficar a economia nos futuro próximo. Não sabemos como a crise mundial vai afetar o Brasil, pode ser que não tenha as consequências como em outros países do mundo, mas uma pessoa que tem uma determinada renda hoje, talvez tenha uma renda menor daqui a um ano. Espero que este artigo tenha esclarecido as dúvidas em relação ao empréstimo pessoal.